What is Strabismus?

O estrabismo é a perda do alinhamento dos olhos e é popularmente conhecido com “vesgueira’. Ocorre em 2 a 4% da população mundial e a maioria não tem uma causa específica.

 

Tipos de estrabismo

  • Convergente (esotropia):quando o desvio de um dos olhos é para dentro.
  • Divergente (exotropia):quando o desvio dos olhos é para fora.
  • Verticais (hipertropia ou hipotropia):quando um olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro.

 

O estrabismo também pode aparecer de formas diferentes: ele é intermitente, quando se manifesta em alguns momentos, ou constante, quando está presente durante todo o tempo.

Tipos de estrabismo

Causas:

O estrabismo ocorre devido a uma alteração no sistema neuromuscular dos músculos dos olhos. Ele pode ser hereditário (quando há casos na família), ou não. O desvio pode estar presente desde o nascimento, ou aparecer durante a infância. Pode ainda ocorrer em adultos em casos de trauma, baixa visão em um dos olhos e doenças sistêmicas, como o diabetes.

O que ocorre com a visão no estrabismo:

Quando o estrabismo aparece na idade adulta ou em crianças mais velhas pode causar visão dupla, pois o desalinhamento dos olhos faz com que o cérebro a enxergue duas imagens separadas. Quando o desvio ocorre em crianças abaixo dos 7 anos, pode causar a diminuição da visão em um dos olhos (ambliopia ou olho preguiçoso”), pois a tendência é de o cérebro usar menos o olho desviado.

 

Tratamento do estrabismo

O oftalmologista especializado em estrabismo é o profissional mais indicado para diagnosticar e tratar os casos de estrabismo. O tratamento varia de acordo com cada tipo de desvio:

  • Óculos: indicados quando o estrabismo tem um componente refracional, ou seja, quando os olhos se alinham totalmente ou parcialmente com o uso de óculos ou lentes de contato. Esse tipo de estrabismo também é conhecido como “acomodativo”. Geralmente esse tipo de estrabismo é mais frequente em crianças que têm um grau alto de hipermetropia; elas precisam fazer um esforço muito grande para focar de perto e acabam entortando os olhos “para dentro”. O oftalmologista então prescreve os óculos de acordo com o grau do paciente e o reavalia após algumas semanas. Nesses casos, a função dos óculos é melhorar a visão e alinhar os olhos. Se os olhos estiverem alinhados, o tratamento resume-se ao uso constante dos óculos; se os olhos ainda desviarem, mesmo quando a criança estiver de óculos, o estrabismo deve ser corrigido com cirurgia. É esperado que hipermetropia diminua com o passar do tempo e, em alguns casos, o paciente deixa de usar os óculos. Mas isso só pode ser confirmado com o acompanhamento oftalmológico regular.
  • Tampão ou oclusão: muita gente acha que o tampão serve para tratar o estrabismo, mas na verdade, o objetivo principal da oclusão é tratar a ambliopia; ao ocluir o olho com melhor visão, o olho com visão mais baixa será estimulado pelo cérebro fazendo com que a visão melhore, podendo assim levar à melhora o controle do estrabismo, proporcionando melhores resultados após a cirurgia. Em alguns casos específicos, o tampão pode ajudar no controle do estrabismo e melhorar a visão dupla, mas não é um tratamento definitivo.
  • Cirurgia de estrabismo: indicada para tratar a maior parte dos casos de estrabismo. Não é indicada nos casos em que o estrabismo melhora totalmente com os óculos (estrabismo acomodativo). Envolve o enfraquecimento e/ou fortalecimento da musculatura ocular em um ou ambos os olhos. Os olhos trabalham juntos, assim pode-se corrigir o desvio em um olho operando o outro. Nas crianças é realizada sob anestesia geral; já nos adultos, pode ser realizada com anestesia geral ou local.
  • Exercícios ortópticos: são como um tipo de fisioterapia para os músculos oculares. São indicados em alguns casos específicos de estrabismos pequenos.
  • Toxina botulínica (Botox®): indicada em casos específicos de estrabismo, como as paralisias musculares, a toxina botulínica causa o enfraquecimento temporário dos músculos mais fortes, dando assim a oportunidade do músculo paralisado recuperar sua força.
  • Prismas: indicados para dar mais conforto ao paciente com visão dupla, em casos de estrabismos pequenos adquiridos tardiamente.

 

Em todos os casos, é muito importante passar por uma avaliação do médico oftalmologista pediátrico ou especialista em estrabismo para que se faça o diagnóstico correto e se indique o melhor tratamento para cada caso.